13 bandas e artistas trans da cena pra você conhecer

29 de janeiro é celebrado o Dia da Visibilidade Trans e Travesti

Arte: Munique Rodrigues / Downstage

29 de janeiro é marcado por ser o Dia da Visibilidade Trans e Travesti. A data é uma alusão ao ato “Travesti e Respeito”, que reuniu um grupo de ativistas trans e travestis no Congresso Nacional em conjunto com o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, em 2004.

Como uma forma de celebrar a data, o Downstage reuniu 13 bandas com vocalistas trans e travestis da cena que definitivamente merecem sua atenção, seu play e seu follow. Distribuídos entre o pop punk, metalcore, hardcore e até midwest emo, há diversos artistas que fazem um trabalho lindo pelo movimento há anos e que você deve conhecer. Confira.

FÖXX SALEMA

A Föxx Salema, também conhecida como Amy, é natural de Bragança Paulista, São Paulo. Suas composições possuem influências de vários subgêneros do metal e têm letras bem fortes, que abordam desde causas políticas; destaque para o seu último single lançado em 2021 intitulado You’re the Next, até temas como autoconhecimento e encorajamento. Amy, além de musicista, também é artista, compositora, intérprete, letrista e vocalista, faz parte da cena desde meados de 1996.

LAURA JANE – AGAINST ME!

Laura Jane Grace é musicista, mais conhecida como a fundadora da banda de punk rock Against Me! Em 1997, quando ainda tinha 17 anos, Grace abandonou o ensino médio e começou a compor as próprias canções, surgindo, então, o Against Me! Antes, o projeto era apenas ela e um colega no violão, mas foi em 2020, após o lançamento de um EP, que a banda tomou forma. Ao longo dos anos, a trajetória de Laura, James, Atom e Andrew foi conquistando os fãs e ganhando espaço, inclusive no mainstream com o disco New Waves. Atualmente, além de sua banda principal, a frontwoman anunciou um projeto solo, em 2016, chamado The Devouring Mothers.

CONNIE SCARBARSKI – SEEYOUSPACECOWBOY

Connie Scarbarski é musicista e já foi vocalista em duas bandas antes da sua atual, a Flowers Taped to Pens e a René Descartes. Atualmente, Connie canta na banda de sasscore e hardcore punk SeeYouSpaceCowboy, que ajudou a formar em 2016 em San Diego, Califórnia. O grupo, além de procurar um diálogo com os fãs sobre a representação LGBTQIA+, retrata sobre políticas pessoais e mensagens anti-racistas e anti-capitalistas. Hoje, o SeeYouSpaceCowboy tem contrato assinado com a Pure Noise Records, com um álbum lançado em 2021.

TAYLIN WILLS – LEAST

Taylin Wills é vocalista e baixista na banda Least, formada em meados de 2019. O projeto era originalmente um trabalho solo emo de Taylin, que cantava para se divertir e compartilhar ideias. Com o tempo, Least foi tomando forma e Wills resolveu recrutar membros e formar uma banda. O último EP lançado pelo grupo, intitulado Folding My Hands, Accepting Defeat, aborda justamente situações com as quais a vocalista lidou antes e durante 2020, como seu divórcio e a tentativa de encontrar o amor como uma pessoa transgênero.

NOAHFINNCE

O cantor Noah Finn Adams utiliza o nome NOAHFINNCE, propositalmente para soar como No Ofense. Com apenas 22 anos, ele já é um nome bem popular nas redes sociais onde atua como influencer. O músico procura trazer por meio de seu trabalho apoiar a comunidade LGBT, explorando sua experiência e autodescoberta do gênero e sexualidade em suas músicas e videoclipes. Em 2021, ele lançou seu primeiro EP STUFF FROM MY BRAIN em setembro, e também dividiu outras duas novas faixas com os fãs posteriormente: WORMS (in my brain) e Clearview.

Liturgy

A Liturgy é uma banda de metal formada no Brooklyn, em Nova York. Em atividade desde 2005, o grupo possui um EP e cinco álbuns, sendo o último Origin of the Alimonies, lançado em 2020. Este trabalho inclusive é de longe um dos mais profundos da banda, explorando a mistura do minimalismo e o romantismo do século XIX ao metal, mergulhando no universo criativo e filosófico da vocalista Hunter Hunt-Hendrix.

Brake

Brake é tudo o que pode definir um artista. Cantor e compositor, suas músicas possuem vocais crescentes com fortes influências do emo e pop punk da década de 2000. Apesar de sempre espalhar a positividade e o amor em suas redes sociais, é em suas composições que Brake afoga seus demônios e entrega letras profundas e emocionantes. Recentemente, o cantor liberou o single Without U I Wanna Be Dead, com participação especial de Kellin Quinn.

Doll Skin

A Doll Skin é uma banda de hard rock e punk formada em Phoenix, no Arizona. O grupo já foi um quarteto, mas após a saída de Alex Snowden e Nicole Rich em dezembro de 2020, a Doll Skin tornou-se um duo formado por Sydney Dolezal e Meghan Herring. Atualmente, elas fazem parte da Hopeless Records e lançaram recentemente o single Eat Shit.

Anxious Hands

A Anxious Hands é uma banda de hardcore melódico formada no início de 2018 no estado de Maine. Escondida no Spotify, com pouco mais de 100 seguidores mensais, o grupo passou por uma mudança na formação em 2019 e em 2020 lançou o single What did you Expect. Atualmente, a Anxious Hands trabalha em novas canções.

The Low Blow

A The Low Blow viaja entre a delicadeza e a energia do sentir humano. “Está tudo bem sentir. Você pode sentir de qualquer jeito que parece genuíno para você”, declara a banda em sua biografia nas redes sociais. Explorando temas como saúde mental, sexualidade e gênero em suas músicas, a banda de Nashville possui dois EPs de estúdio e um álbum ao vivo lançados até então.

Stage Moms

A Stage Moms é uma banda que viaja bastante entre o metalcore e o folk-punk, trazendo peso e melodia na mesma medida. O grupo foi formado em 2019 e possui até agora dois EPs lançados, o primeiro Long Drives & Late Nights e o excelente Almost Heaven… Feels Like Hell, com cinco faixas cada trabalho.

Hi, I’m Case

Hi, I’m Case é um projeto lindo, intimista e que transborda emoção de ponta a ponta encabeçado pelo artista Case Jackal, de Kenosha, em Wisconsin. Altamente indicado para os fãs de Relient K, Case coloca boas doses de piano no pop rock alternativo em que produz, resultando num trabalho único e inspirador. São cinco álbuns ao todo lançados até agora, incluindo o último The Library, de 2021.

JER

Para quem gosta de ska punk, JER é o artista que você deveria ouvir imediatamente: compondo há mais de dez anos e presente em diversos projetos em conjunto anteriormente, Jeremy inaugurou sua carreira solo pela Bad Time Records (mesmo selo da curitibana Abraskadabra) em 2020, por onde já lançou três ótimos singles: A Message to my Future Self, Breaking News! Local Punk Doubts Existence of Systemic Racism e o excelente inaugural R/Edgelord.

https://open.spotify.com/playlist/681mMdMbl91qPhuneodP1A?si=c2dd684ba5044189