10 discos para conhecer o deathcore

Misturando brutalidade, técnica e velocidade, o deathcore segue sendo um dos gêneros favoritos entre os amantes da música pesada

Arte: Inaê Brandão / Downstage

Com muitos nomes de peso, o subgênero tem seu lugar cativo no coração dos amantes de música pesada, e o Downstage preparou uma lista para você que ainda não conhece, entender um pouco do que é o movimento. Se liga só!

Brutal, técnico e rápido. Essas são as principais características de um dos gêneros mais amados do mundo core, o deathcore. Originalmente criado no início dos anos dois mil, já era possível ver alguns elementos dessa fusão entre o death metal e o metalcore/hardcore, já acontecendo no final dos anos noventa.

Carnifex – Dead In My Arms (2007)

Quem fala de deathcore, logo associa o Carnifex de imediato. Formada em 2005 na cidade de San Diego County, California, coleciona oito álbuns e três EP’s. Dead In My Arms foi o álbum de estreia da banda, e é um dos discos clássicos de deathcore, ajudando a apresentar ao mundo o que era brutalidade. Destaque para a faixa Lie To My Face, uma verdadeira pancada!

Suicide Silence – The Cleansing (2007)

Um dos nomes mais expoentes do subgênero, o Suicide Silence fez seu nome de forma rápida e sólida. Com ótimos álbuns lançados, a banda continua sendo um dos representantes mais latentes do deathcore mundial. Com seu também disco de estreia, o poderoso The Cleansing, mostrou ao mundo o que a banda, e sobretudo, Mitch Lucker, ex-frontman, eram capazes de fazer. Uma banda importantíssima para se ter nas playlist’s!

Job For A Cowboy – Doom EP (2005)

Job For A Cowboy explodiu o mundo do deathcore com um dos EP’s mais completos pro ano do seu lançamento, o destruidor Doom EP. Com apenas sete faixas, foi possível prever o que viria após o lançamento: outros trabalhos focados em destruir o tímpano do pequeno jovem revoltado. Um ótimo nome para manter nas playlist’s, hein!?

Whitechapel – This Is Exile (2008)

Gosta de peso? Então toma três guitarras destruindo no grave! O Whitechapel também se firmou como um dos nomes mais importantes do deathcore mundial em pouco tempo de existência. Com faixas absurdas, e uma técnica inigualável, a banda explodiu após o lançamento do seu segundo álbum de estúdio, This Is Exile, quebrando a banca com os vocais demoníacos de Phil Bozeman. Vale o check na faixa-título do álbum!

As Blood Runs Black – Allegiance (2006)

Outra banda muito importante para o subgênero, e influência para muitas bandas que viriam posteriormente, o As Blood Runs Black iniciou no ano de 2003, e lançou um dos discos mais icônicos do deathcore, o visceral Allegiance. Com faixas poderosas e diretas, é outro disco que precisa estar no seu radar!

Bring Me The Horizon – Count Your Blessings (2006)

É isso ai mesmo, se você achou que o Bring Me The Horizon sempre teve refrãos marcantes e sintetizadores, saiba que lá no começo, Oliver Sykes desossava a garganta em vocais rasgados, e a banda brincava de som sujo! Count Your Blessings é responsável pela popularidade da banda, além de levar consigo faixas icônicas como Pray For Plagues, A Lot Like Vegas e Black & Blue, sendo um dos discos marcantes do deathcore. Vale o check, hein!?

Oceano – Depths (2009)

Com vocais destruidores e blast beat’s bem executados, os caras da banda Oceano te entregam de mão beijada um instrumental cabulosamente perfeito! Com atmosferas que envolvem o ouvinte, o álbum de estreia da banda, Depths é inigualável. Vale demais o check na música District Of Misery!

I Declare War – Amdist The Bloodshed (2007)

Com um instrumental sujo e horrendamente pesado, os estadunidenses do I Declare War figuram no universo do deathcore com maestria até hoje. Em uma tracklist brutal e direta ao ponto, o disco Amdist The Bloodshed, que apresentou ao mundo o quinteto, ajudou a formalizar a métrica que ainda tem espaço em novas bandas do gênero. Now You’re Going To Be Famous é uma das obras primas dos caras!

Despised Icon – The Ills Of Modern Man (2007)

Já ouviu falar do termo pig squeal, mas nunca sacou real o que é? Então cola nos caras do Despised Icon que o significado vem na hora! Um dos grandes nomes do subgênero, os canadenses desfilam com tranquilidade por uma discografia sólida e bem representada. The Ills Of Modern Man é, com certeza, uma das joias do deathcore mundial, abrigando faixas como Furtive Monologue, In The Arms Of Perdition e A Fractured Hand. Bora de vocal dobrado?

Lorna Shore – …And I Return To Nothingness (2021)

Fechando a lista, trazemos uma das bandas mais hypadas do mundo do deathcore, o Lorna Shore! Banda que quebrou a internet após a entrada do vocalista Will Ramos, um dos vocalistas mais promissores do subgênero. …And I Return To Nothingness, um EP de apenas três faixas, abriga a música que, segundo os leitores da Revolver Magazine, como a melhor música do ano de 2021.

Pouca coisa, né? Vale a pena ficar de olho nos caras, hein!? Boas audições!